Ementa:

O 29º Congresso Internacional da Sociedade de Teologia e Ciências da Religião – SOTER terá como tema: TEMPOS DO ESPÍRITO: INSPIRAÇÃO E DISCERNIMENTO.

Este tema nasceu da constatação de que, sobretudo nas últimas décadas do século XX, houve crescente fenômeno de desinstitucionalização da religião, abrindo espaço não só para o pluralismo, mas para formas “líquidas” ou “indefinidas” de religiosidade pós-moderna com elementos pré-modernos, uma nova expressão “barroca” modernizada da religiosidade brasileira. Como a Escritura se tornou uma referência hermenêutica, muitas vezes sem se recorrer aos métodos histórico-críticos, teve origem uma interpretação “pentecostal” e com desdobramento fundamentalista que, por efeitos colaterais, irrompe sempre em novos hibridismos ou sincretismos. O fenômeno comporta duas considerações. Os tempos pentecostais podem ser uma riqueza com nova inspiração para a religião, a cultura e a sociedade; entretanto, podem derivar em reducionismos com o ressurgimento de violências religiosas e abusos de diversos tipos: econômicos, sociais, políticos e psíquicos. Esta realidade provoca a Teologia e a Ciência da Religião a um sério discernimento que exige uma revisitação da teologia do Espírito Santo, com seu fundamento trinitário, da eclesiologia, da relação entre espírito e messianismo, bem como uma análise sócio-antropológica e fenomenológica.

Justificativa

A irrupção dos movimentos do Espírito, com suas múltiplas variáveis, tem influenciado os vários segmentos da religião, da sociedade e da cultura. Isto nos leva a considerar de grande importância o tema central do 29º Congresso, que será desdobrado em três eixos de reflexão: fenomenológico, teológico e sócio-antropológico.

 

 

  • Fenomenológico: sob a perspectiva diacrônica, esse eixo analisará as diversas compreensões do fenômeno no seu viés histórico-filosófico e da forma como ele se apresenta e é vivido pelo crente como autêntica experiência religiosa e manifestação do Sagrado. Levar-se-á em conta como a experiência religiosa se dá na modernidade e, mais precisamente, na pós-modernidade, a partir da subjetividade, produzindo novas formas de vivência da individualidade e da corporeidade.

 

  • Teológico: o Ocidente cristão sempre se mostrou frágil no desenvolvimento de uma profunda teologia do Espírito Santo. A partir do Concílio Vaticano II toda a teologia foi convidada a se repensar em bases trinitárias, implicando na construção de uma nova pneumatologia. Os tempos (neo)pentecostais exigem uma releitura da Escritura que incorpore os diversos metodos de leitura do texto sagrado. Por outro lado, urgem a construção de uma Teologia que ofereça critérios para o discernimento da presença do Espírito no mundo e sua inspiração histórica.

 

  • Sócio-antropológico: os fundamentalismos, sempre presentes nas grandes tradições religiosas, influenciam nos modos de identidade e nas diversas estruturas sócio-culturais. As pesquisas sócio-antropológicas oferecem elementos para se pensar e analisar a pluralidade de crenças nas sociedades contemporâneas, bem como o leque imenso de novas opções religiosas, o fenômeno dos movimentos (neo)pentecostais e da Renovação Carismática Católica (RCC). Tudo isso convive numa sociedade cada vez mais desinstitucionalizada, avessa a religião e sem Deus, porém, em busca de novas formas do Sagrado.

 

Objetivos

– Analisar a influência do fenômeno (neo)pentecostal na atualidade sob uma leitura sócio-antropológica e teológica;

– Refletir sobre uma teologia trinitária como forma de superação do cristomonismo e do pneumatomonismo;

– Emoldurar as experiências religiosas (neo)pentecostais no contexto plural, característico da (pós)modernidade e seus desdobramentos;

– Apontar possibilidades para uma pneumatologia em contexto latino americano;

– Aprofundar a dimensão ecológico/holística da experiência do Espírito;

– Explicitar elementos de hermenêutica bíblica que possibilitem captar a gramática do Espírito.