Fóruns Temáticos para o 29º Congresso Internacional da SOTER

 

FT 1: Interculturalidade e  Religião – Interfaces do Sagrado em tempos do Espírito – Em memória de Afonso M. L. Soares

Coordenadores: Prof. Dr. Ênio José da Costa Brito – PUC-SP, SP; Prof. Dr. Roberto Ervino Zwetsch – Faculdades EST, RS; Profª Ms. Selenir Corrêa Gonçalves Kronbauer – Faculdades EST, RS

Ementa: O FT “Interculturalidade e religião”, em sua 4ª edição, pretende discutir o tema da presença do Sagrado na sociedade plural e intercultural em que vivemos. Nesta oportunidade tomaremos como referência a obra Interfaces da revelação. Pressupostos para uma teologia do sincretismo religioso no Brasil (São Paulo: Paulinas, 2003), do saudoso professor Afonso Soares, para levar adiante o tema lançado por essa tese, discutindo a pertinência ou não do conceito de sincretismo e o desafio da pluralidade religiosa, sob a ótica da teologia intercultural e das manifestações do Espírito Santo na atualidade. Palavras- chave: Interculturalidade, Religião, Interfaces do Sagrado.

 

FT 2 : RCC: Legitimação, Rotinização e Institucionalização do Carisma

Coordenadores: Prof. Dr. Antônio Lopes Ribeiro/FATEO – GEPERC; Profa. Dra. Sandra Célia Coelho G. da Silva/UNEB – GEPERCS; Profa. Dra. Rosemary Francisca Neves Silva/PUC Goiás

Ementa: Um movimento basicamente laico, com raízes no pentecostalismo norte-americano, a RCC ganhou um poder extraordinário ao ser clericalizada. Com a oferta de missas de cura e de libertação, nas mãos de um sacerdote, a RCC se insere no principal culto católico, consolidando-se definitivamente como uma das múltiplas faces da Igreja Católica. Ao se apropriarem de práticas religiosas de cunho místico, oriundas do meio neopentecostal, bem como de tradições religiosas não-cristãs, que povoam o campo religioso brasileiro, os sacerdotes de linha de atuação carismática as inserem na principal celebração litúrgica da Igreja católica, dando-lhe um novo sentido, distanciando-se, assim, de sua forma tradicional de prestar culto a Deus. Com um discurso mais voltado às necessidades prementes de uma clientela flutuante, valendo-se de seus dons carismáticos, atestados pelos testemunhos dos próprios fiéis, esses sacerdotes oferecem cura e libertação, como bens simbólicos de salvação. Ao agirem desse modo, esses agentes religiosos rotinizam, legitimam e institucionalizam seus carismas.  O presente Fórum Temático pretende abrigar discussões e fomentar um debate acerca desta temática apresentada.

 

FT 3: Diaconia, Saúde, Espiritualidade e Políticas Públicas

Coordenadores: Prof. Dr. Darlei de Paula, Faculdades EST, RS; Prof. Dr. Helio Teixeira, Faculdades EST, RS.

Atualmente, vêm sendo incorporadas práticas integrativas e complementares ao Sistema Único de Saúde (SUS) tais como a homeopatia, as plantas medicinais e fitoterápicas, a medicina tradicional chinesa/acupuntura, a medicina antroposófica e o termalismo social-crenoterapia, especialmente quando se utilizam plantas medicinais e derivados como recurso terapêutico, perpassando o entendimento e a valorização da multiculturalidade e interculturalidade, seja por gestores e profissionais de saúde, seja por agentes comunitários ligados às comunidades tradicionais de caráter identitário, para maior equidade e integralidade da atenção. Nesse sentido, o presente Fórum Temático (FT) busca refletir sobre a contribuição da inclusão de elementos relacionados e integrados com a espiritualidade em espaços de aplicação de políticas públicas de Estado na área da saúde, e em especial as práticas das terapias integrativas apoiadas pelas PICs (Práticas Integrativas e Complementares). O FT pretende reunir pesquisadores que atuem a partir desta perspectiva direcionando seu debate e ampliação de críticas rumo ao aprofundamento do papel da diaconia como prática social cristã vinculada à área da saúde desde os primeiros séculos da fé cristã, bem como sua relação com a espiritualidade em contextos das políticas públicas no Brasil. Palavras-chave: Saúde e Espiritualidade. Diaconia. Políticas Públicas de Estado.

FT 4: Espaço Religioso: entre o público e o privado.

Coordenadores: Glauco Barsalini (Programa de Mestrado em Ciências da Religião da PUC-Campinas); Rodrigo Coppe Caldeira (Programa de Mestrado em Ciências da Religião da PUC-Minas)

Ementa: Jürgen Habermas chama atenção para o fato de que, na atualidade, a “neutralidade ideológica” do Estado não permite que se generalize uma visão secularizada do mundo, de modo que se pode esperar que as contribuições importantes das religiões sejam traduzidas em uma linguagem “acessível publicamente”. Em caminho diferente ao de Habermas, Giorgio Agamben concebe o termo religio como aquilo que cuida para que os homens se mantenham distintos dos deuses, no que profano e sagrado estão separados. A proposta deste FT é discutir o problema da religião na sua relação com o espaço público secularizado tendo em vista, de um lado, concepções teóricas que apostam na possibilidade de construção de um lugar religioso de caráter público junto ao Estado e, de outro, concepções teóricas que questionam tal possibilidade, propondo um locus religioso fora dos limites do Estado.

 

FT 5: Práticas Religiosas, Imagens de Deus e Fé Cristã

Coordenadores: Prof. Dr. Geraldo De Mori – FAJE, MG; Profa. Dra. Virgínia Buarque – UFOP, MG; Profa. Dra. Alzirinha Rocha de Souza – PUC SP

Ementa: De modo totalmente imprevisível, a religião voltou, está na ordem do dia e já é o produto mais rentável do capitalismo. Entretanto, a volta do religioso não é necessariamente o retorno do sagrado. Muito menos, a revanche de Deus às tendências secularistas do projeto civilizacional moderno. É um fenômeno complexo e ambíguo, que exige discernimento e análise, pois afeta seriamente as religiões tradicionais em seus símbolos, doutrinas e práticas, particularmente a fé cristã. Por um lado, está a mercantilização da religião, colocada a serviço dos indivíduos e de seus desejos pessoais, com práticas providencialistas, fundamentalistas, ecléticas e difusas, que desafiam credos e a exigência de pertença institucional de seus adeptos. Por outro, está a legitimidade do acesso ao sagrado sem o emaranhado da burocracia institucional, da busca de felicidade e bem-estar já na intra-história, da dimensão terapêutica da religião, da aterrissagem da escatologia no presente e no momentâneo. Este FT busca reunir estudos sobre práticas religiosas na atualidade, as imagens e concepções de Deus subjacentes a elas e os consequentes desafios colocados à fé cristã, seja ao dogma, seja à moral cristã, porquanto está em jogo a pretensão de universalidade da proposta do cristianismo.

 

FT6: Questões cristológico-pneumatológicas

Coordenadores: Prof. Dr. Manuel Hurtado, SJ – Universidad Católica Boliviana, Cochabamba; Prof. Dr. Paulo Sérgio Carrara, CSSR – ISTA; Profª Dra. Aparecida Maria de Vasconcelos – FAJE; Profª Dra. Áurea Marin Burocchi – PUC /MG

Ementa: O presente FT busca refletir sobre a mútua fecundidade entre cristologia e pneumatologia enquanto raiz de toda tentativa de fazer teologia em contexto cultural plural. As comunicações deste FT devem refletir sobre os fundamentos da teologia cristã que, em tempos de secularidade, descolonialidade, pluralismo cultural e religioso, tenta estabelecer diferentes tipos de diálogos. Assim, este FT deseja confrontar o pensamento e o discurso da teologia cristã com diferentes fenômenos contemporâneos. Por isso, nosso FT acolherá propostas de comunicações que privilegiem articulações inter e transdisciplinares onde apareça a relação entre cristologia e pneumatologia e toquem alguma problemática cultural ou religiosa contemporânea. Algumas questões perpassam nossa proposta: hoje, como é possível que a fé elementar brote novamente em contexto pós-colonial, pluricultural e plurirreligioso como o nosso? Qual é o coração dessa fé que ainda atrai homens e mulheres? Qual a mística, a espiritualidade – o estilo de viver segundo o Espírito – que encontra integração nessa realidade contemporânea? Como é possível encontrar o vestígio do Espírito de Jesus no contexto secular, descolonial e plural no qual vivemos?

Palavras-chave: Teologia cristã. Cristologia. Pneumatologia. Diálogo intercultural e interreligioso. Contexto pós-colonial. Transdiciplinariedade.

 

FT 7: Devoções Religiosas e Culturas Brasileiras

Coordenadores: Profª. Dra. Sylvana Maria Brandão de Aguiar – UFPE/UNICAP, PE;  Profº Dr. Newton Darwin de Andrade Cabral – UNICAP, PE; Profº Dr. Manoel Henrique de Melo Santana – CESMAC, AL.

Ementa: O principal intuito deste fórum temático é discutir as devoções religiosas e seus hibridismos culturais, amalgamados durante os processos de construções das identidades nacionais, desde a colonização até a atualidade. Para tanto, se aglutina reflexões teóricas/conceituais interdisciplinares e estudos de caso simples e múltiplos; estes advindos das inúmeras materializações do sagrado, sejam estas realizadas em espaços públicos ou privados, institucionalizadas ou não e que ocorrem, principalmente, em santuários, peregrinações, festas, confraternizações, romarias e em espaços domésticos.  Estudos focados na compreensão das devoções religiosas realizadas por meios eletrônicos também estão inclusas. Cabe destacar que devoção religiosa é analisada enquanto representação social, por conseguinte aglutinadora das várias esferas expressas nas dimensões humanas em suas relações com a natureza.

 

FT 8: Diversidade Religiosa e Imaginário 

Coordenadores: Prof. Dr. Carlos André Cavalcanti – UFPB, PB; Prof. Dr. Lusival Antônio Barcellos – UFES, ES.

Ementa: 

Na relação homem/sagrado, o imaginário constitui ponte que permite instauração de um diálogo. Diferentes concepções sobre tal relação homem/divino dão origem a múltiplas expressões religiosas. No âmago de todas elas encontramos símbolos, mitos e ritos como elementos fundadores e mantenedores de cosmovisões e plausibilidades. Caracterizado como país de relativa tolerância, o Brasil vê-se atualmente confrontado com demonstrações de intolerância de vários segmentos religiosos. Assim, o reconhecimento das convergências profundas que unem diferentes expressões religiosas – entendidas como parte do capital simbólico comum da humanidade – constitui tarefa intelectual e política urgente. Esta tarefa faz-se ainda mais necessária como fundamento teórico à afirmação do respeito à pluralidade e ao reconhecimento da Diversidade Religiosa. Nossa experiência como co-fundadores da área de Ciências das Religiões da UFPB demonstrou-nos esta necessidade.

Os estudos no campo do simbólico e do imaginário constituem instrumentos capazes de ampliar entendimento das convergências e distinções entre as tradições religiosas, fundamentando o direito de cada uma à livre expressão e elencando proximidades. Entre estes estudos destacamos, sem exclusividade, a Teoria Geral do Imaginário, que através da abordagem das estruturas antropológicas que orientam as criações simbólicas da humanidade – onde se vê a Tradição profunda do Ocidente, traída pelo clero no século XIII – propicia reconhecimento dos elementos subjacentes à DR, contribuindo para seu melhor entendimento. A Diversidade Religiosa é uma das vitrines da nossa área na interface com a sociedade civil! Nela atua cada vez mais o Estado em boa parte de suas políticas públicas voltadas para religiões. Debater neste ST noções e conceitos da nossa área que contribuam para fundamentar DR é ato estratégico que reafirma um campo de ação. Participe desta luta que une os novos paradigmas do saber e da diversidade!!

 

FT 9: Religião, ecologia e cidadania planetária

Coordenadores:: Prof. Dr. Afonso Murad – FAJE, MG; Prof. Dr. Luis Carlos Susin – PUC-RS; Prof. Dr. José Carlos Aguiar de Souza – ISTA e PUC Minas; Prof. Dr. Pedro A. Ribeiro de Oliveira – PUC Minas, MG.

Ementa: O GT “Religião, ecologia e cidadania planetária” visa discutir questões teóricas e experiências relevantes na relação entre Religião, cuidado com a Terra e superação do antropocentrismo, dando continuidade ao trabalho realizado desde 2011. Serão aceitas comunicações que (1) abordem problemas teóricos envolvidos no debate atual da Teologia e das Ciências da Religião, (2) analisem experiências de formação da consciência ecológica/planetária, (3) apresentem dados de pesquisa empírica sobre o assunto, (4) reflitam sobre as imagens de Deus e a espiritualidade que afloram de práticas em favor da sustentabilidade e do Bem-Viver. O GT será realizado juntamente com o seminário dos grupos de pesquisa “Modernidade, Religião e Ecologia” e “Ecoteologia”Pede-se aos participantes do GT que estejam presentes durante todo o tempo, para enriquecer a discussão dos temas e promover a elaboração coletiva do conhecimento.

 

FT 10: Religião, Patrimônio Cultural e Turismo Religioso.

Coordenadores: Prof. Dr. Aurino José Góis – PUC Minas, MG; Prof. Dr. Josimar da Silva Azevedo – PUC Minas, MG;  Prof. Dr.Leandro Pena Catão – UEMG/SENAC – MG.

Ementa: O patrimônio pode ser compreendido como um produto resultante do esforço de um determinado grupo para significar sua existência. Essa existência particular vai tecendo a rede intricada da história mais ampla da humanidade. Portanto, a preservação do patrimônio cultural e religioso de um grupo específico é fundamental para a compreensão da humanidade como um todo, enquanto experiência diversificada de distintos e variados grupos, ou seja, enquanto experiência plural e complexa. Resulta que, a preservação de um patrimônio cultural significa salvaguardar a arte manifesta materialmente e garantir as condições para que o grupo de pertença manifeste e expresse o seu modo particular de existir. Este é o objetivo deste Fórum que irá focar suas reflexões a partir da articulação de três grandes realidades culturais e campos de conhecimento: a Religião, o Patrimônio Cultural e o Turismo Religioso. Os estudos e as pesquisas desenvolvidas estarão orientados prioritariamente para a compreensão dos fenômenos, suas possíveis articulações, entre si, e potencialidades relacionadas ao desenvolvimento humano e social dos grupos envolvidos, seguidos de ações sociais e políticas que garantam sua valorização, reconhecimento e promoção. O Fórum tem também a pretensão de reunir pesquisadores das temáticas propostas numa rede articulada em torno de projetos comuns, sobretudo, àqueles protagonizados pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas em Pastoral da Cultura (NEPAC). ÁREAS: Ciências da Religião, Teologia, Educação, Geografia, História, Ciências Sociais e Turismo.

 

FT 11 – Religiões Japonesas: história, teologia e cultura

Coordenadores: Profa. Dra. Andrea Gomes Santiago Tomita- Mokiti Okada – M.O.A; Prof. Dr. Elton Tada Famma – Faculdade Metropolitana de Maringá; Neide Nagae – Universidade de São Paulo/ FFLCH – Letras Orientais Pós-Doutora Kanagawa- University, KU, Japão.

Ementa: Em perspectiva interdisciplinar, discutirá sobre religiões japonesas (novas e tradicionais), história de teologias, práticas locais (religiosas ou culturais) e sua integração no exterior. Além das contribuições no campo sócio-econômico, a imigração japonesa possibilitou múltiplas formas de intercâmbio junto à sociedade brasileira. Um legado religioso-cultural foi trazido através das religiões japonesas que carece de pesquisas mais aprofundadas, sobretudo em perspectiva interdisciplinar. A proposta deste Fórum Temático é reunir estudiosos sobre religiões japonesas (tradicionais e novas) introduzidas no Brasil a partir do século XIX. Serão abordados aspectos relativos ao contexto sócio-histórico de sua gênese, história da teologia e caracterização de práticas locais que possibilitaram sua integração no Brasil, incluindo as de natureza artístico-cultural.

 

FT 12 : Iniciação Científica

Coordenadores: Prof. Dr. Célio de Pádua Garcia, PUC Minas, MG; Prof. Dr. Cleto Caliman – FAJE, MG.

Ementa: O presente FT tem por objetivo propiciar aos estudantes de graduação e pós-graduação (atualização e especialização), assim como a bolsistas de Iniciação Científica, um espaço para apresentar e discutir os resultados de suas pesquisas dentro da temática geral do Congresso. Com isto, favorecer-se-á a divulgação de suas pesquisas, bem como propiciar-se-ão o aprimoramento e amadurecimento da capacidade de investigação e da participação em ambiente acadêmico. As apresentações serão em forma de Banners.

Detalhes sobre o Banner:

  1. Tamanho físico: 80cm x 120cm;
  2. O que deve constar: Título, autor/autores, objeto, objetivos, justificativa, referencial teórico, metodologia, resultado, referências.

Obs.: Os coordenadores aprovarão os resumos enviados. Serão estipulados os dias e horários das apresentações. Os proponentes devem estar presentes para a apresentação do trabalho para os coordenadores e demais pesquisadores.  Os banners ficarão expostos durante toda a realização do congresso.