Notícias
26º Congresso Internacional da Soter - 08 a 11 de julho de 2013 27/11/2012

26º Congresso Internacional da Soter - 08 a 11 de julho de 2013

Deus na Sociedade Plural. Fé – Símbolos – Narrativas

PUC Minas, 08 a 11 de julho de 2013 - Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

 

Apresentação

O 26º Congresso Internacional da SOTER – Sociedade de Teologia e Ciências da Religião – a se realizar entre os dias 08 a 11 de julho de 2013, na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC Minas – refletirá sobre o seguinte tema: Deus na Sociedade Plural. Fé – Símbolos – Narrativas.

 

Justificativa

Após ter se empenhado em discutir o papel da religião em nossa sociedade em seus últimos congressos – Religiões e Paz (congresso 2010), Religião, Educação e Cidadania (congresso 2011), Mobilidade Social e Religiosa (congresso 2012), a SOTER volta-se no 26º Congresso Internacional para a fonte mesma da experiência religiosa e de sua interpretação pela Teologia, Ciências da Religião e Áreas Afins: Deus. Por que este retorno a Deus ou de Deus no próximo congresso anual organizado pela SOTER? O que, na atual situação das religiões em geral e das diferentes confissões cristãs em particular, justifica esse interesse e essa atenção pela questão de Deus em nosso país?

Uma primeira aproximação ao mapa religioso do Brasil, como a do último Censo do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística –, mostra que Deus – a fé, os símbolos e as narrativas que engendra –, os deuses, o sagrado e/ou o divino – as crenças, ritos e relatos de que são objeto –, são onipresentes no imaginário nacional. O aumento dos sem religião, por exemplo, não necessariamente é sinônimo de ateísmo ou agnosticismo, mas colocam uma clara fronteira entre experiência religiosa e experiência institucional. A pluralização do campo religioso e a explosão de novas espiritualidades e religiosidades apontam para outras formas de experiências do divino, algumas ressemantizando a compreensão do Deus do cristianismo, outras resgatando as divindades dos povos originários e afrodescendentes, outras enfim valorizando o Deus do judaísmo, do islã e das religiões orientais. Esta constatação parece confirmar a opinião segundo a qual o processo de secularização, que em muitos países ocidentais levou ao indiferentismo e à negação de Deus, não teve o mesmo impacto entre nós.

Uma análise mais aprofundada do atual pluralismo religioso, das imagens, símbolos e narrativas do divino que veicula ou revisita, levanta, porém, uma série de questões. Quem é o Deus desta nossa sociedade plural? É a fonte e o horizonte do sentido ou um dos muitos “ídolos” fabricados pelo indivíduo pós ou hipermoderno? Ele oferece razões para crer, esperar e amar ou é um simples “consolo” face ao absurdo de uma existência feita de violência, solidão e injustiças, na qual o indivíduo é apenas “número” ou mero consumidor? Até quando o imaginário pré-moderno do divino, tão presente nas inúmeras recomposições do religioso em nosso país, poderá competir com o imaginário tecnológico-instrumental, para o qual Deus não é necessário para explicar o mundo? Até que ponto a variedade de imagens, símbolos e narrativas do divino não são mera projeção do processo de diversificação das individualidades nas sociedades complexas?

Os “filósofos da suspeita” – Feuerbach, Nietzsche, Marx e Freud – produziram no séc. XIX e XX críticas contundentes à religião, que foram também críticas ao estatuto ocupado por Deus no seio da razão ocidental. Assim, para Feuerbach, Deus deveria ceder o lugar ao humano e a teologia transformar-se em antropologia. Nietzsche anuncia a morte de Deus e suas consequências para a cultura, enquanto Marx e Freud afirmam respectivamente que Ele é fonte de alienação e enfermidade, e a religião ópio do povo e neurose universal. Heidegger, num outro tipo de leitura, verá no recurso da filosofia a Deus enquanto causa e fundamento do Ser, a origem do esquecimento da diferença que existe entre ser e ente, acusando o pensamento filosófico do Ocidente de ontoteológico.

As críticas dos “filósofos da suspeita” e a crítica à ontoteologia determinam grande parte da reflexão sobre a religião e Deus feitas no último século. De fato, as Ciências da Religião (sociologia, psicologia, fenomenologia, história, antropologia e filosofia religiosas) surgiram e se firmaram a partir do séc. XIX num esforço de compreender e fundamentar os diferentes aspectos do fenômeno religioso e do lugar que nele ocupa a divindade. A Teologia, por sua vez, apesar de ter-se firmado como ciência já nos primeiros séculos do cristianismo e ter adquirido o estatuto de ciência nas universidades medievais, viu-se obrigada a responder às questões levantadas por essas críticas. Além disso, após as duas grandes guerras mundiais, ela foi questionada sobre as fontes de tanto horror e violência, interrogando-se sobre como falar de Deus após o holocausto.

A reflexão sobre Deus feita na América Latina e no Brasil nas últimas décadas foi profundamente marcada pela pergunta: como falar de Deus a partir do sofrimento do inocente? Para responder a tal pergunta, nossos/as teólogos/as inspiraram-se sobretudo no Deus de Jesus Cristo e sua capacidade de “kenosis” – humildade e solidariedade –, propondo uma releitura original do dogma trinitário, que alimentou a espiritualidade e a práxis dos/as que se comprometeram em “tirar da cruz os povos crucificados”. Nos últimos anos, porém, a essa leitura somam-se as das novas tendências que emergiram no seio da teologia da libertação: as das críticas ao patriarcalismo (teologias de gênero), à destruição do meio ambiente (ecoteologia), à idolatria do mercado (teologia e economia), à supremacia do Deus cristão (interculturalidade e diálogo inter-religioso); e a da proposta de uma teologia pública, que discute sobre temáticas que afetam os processos democráticos das nações e sua relação com o pensar teológico na sociedade.

Por outro lado, à reflexão latino-americana e brasileira sobre Deus feita pela Teologia nas últimas décadas deve-se também acrescentar a das Ciências da Religião. De fato, boa parte da produção filosófica elaborada entre nós retomou as críticas dos filósofos da suspeita e de Heidegger, num esforço de pensar o niilismo, o agnosticismo e o ateísmo em nosso meio. A sociologia, a psicologia, a história, a fenomenologia e a antropologia da religião ofereceram por sua vez chaves de interpretação importantes para entender a especificidade das religiosidades autóctones e das religiões afrodescendentes, além de ajudarem a compreender o fenômeno pentecostal, tão importante atualmente no país.

Ao propor para 2013 o tema Deus na Sociedade Plural. Fé – Símbolos - Narrativas, o 26º Congresso da SOTER aborda um tema relevante de nossa contemporaneidade, que necessita ser interpretado por cientistas sociais, teólogos/as, filósofos/as e cientistas da religião, oferecendo assim novas chaves de leitura para pensar Deus no momento atual.

 

Objetivos

1. Analisar em perspectiva multidisciplinar as novas formas de confissão, nomeação, representação e narração de Deus presentes nos diferentes grupos que compõem o campo religioso brasileiro contemporâneo;

2. Retomar as críticas à religião e a Deus, feitas no último século no âmbito da filosofia, das ciências exatas e das ciências humanas, e sua pertinência na interpretação do lugar da religião e de Deus nas sociedades complexas do início do séc. XXI;

3. Revisitar as principais leituras sobre Deus feitas pela teologia da libertação nas últimas décadas e sua importância para se pensar a pluralidade de percepções do divino que reina atualmente nos distintos grupos religiosos nacionais;

4. Refletir mediante pesquisa filosófica, teológica, das ciências sociais e das ciências da religião, sobre as crenças, símbolos e narrativas produzidos pelas distintas confissões religiosas no Brasil;

5. Oferecer amplo espaço para exposição – por meio de Grupos de Trabalho (GTs) e Fóruns Temáticos (FTs) – das pesquisas em andamento na área da Teologia e das Ciências da Religião e de Áreas Afins.

 

Metodologia

Este é o 26º Congresso da SOTER. Pela seriedade com que aborda as questões da Teologia e das Ciências da Religião e pela solidez adquirida ao longo dos anos, os congressos da SOTER tornaram-se uma referência para a área no Brasil. O fato de ser realizado na PUC Minas tem lhe dado um caráter mais acadêmico, conferindo-lhe também um perfil mais ecumênico.

A metodologia utilizada nos dois últimos congressos, pela boa acolhida que teve entre os/as participantes, será de novo aplicada. Vários/as especialistas internacionais e nacionais darão sua contribuição, numa perspectiva multidisciplinar, através de conferências e mesas redondas. A parceria entre a SOTER e as Edições Paulinas continuará viabilizando a publicação do conteúdo dessas intervenções em forma de livro. Os congressos da entidade abrem também espaço para a discussão das pesquisas feitas nas faculdades de teologia e nos programas de pós-graduação em Teologia, Ciências da Religião e Áreas Afins, através de comunicações científicas. Após a experiência dos últimos anos e levando em conta a diversidades de participações, a Diretoria da SOTER decidiu diferenciar da seguinte maneira a apresentação de comunicações científicas. Os Grupos de Trabalho (GTs), com caráter permanente, não necessitam passar a cada ano pela avaliação do Comitê Científico. São constituídos por pesquisadores/as que se comprometem a aprofundar a temática do Grupo, criando uma verdadeira rede de pesquisa e debate, podendo organizar colóquios, seminários ou publicações fora do Congresso. OsFóruns Temáticos (FTs) propõem a discussão de uma questão relevante, relacionada à temática geral do Congresso ou a temas importantes da área. Não têm caráter permanente e necessitam apresentar a cada ano sua proposta, que será avaliada pelo Comitê Científico. São mais abertos aos diversos tipos de participação, podendo, após reiteradas realizações e o real compromisso dos/as que dele participam, tornar-se um GT. A animação de GTs e de FTs deve ser assegurada por dois doutores/as, vinculados/as a IES distintas. Haverá também um Grupo para apresentação de trabalhos de iniciação científica, que só poderá aceitar comunicações de alunos/as de graduação e especialização. Os/as coordenadores/as de GTs e dos FTs aprovam as comunicações propostas, levando em conta os critérios estabelecidos pela Comissão Organizadora do 26º Congresso. A inscrição nos GTs e nos FTs se dará através da página de Eventos do Site da SOTER (http://www.soter.org.br). As comunicações aprovadas, cujos proponentes pagaram a taxa de inscrição, terão seus resumos publicados no Caderno de Resumos do 26º Congresso – caderno impresso com ISSN próprio, no qual constará também a programação do evento –. O texto completo das comunicações efetivamente apresentadas, após aprovação dos/as coordenadores/as de GTs e FTs, será publicado no pela: http://ciberteologia.paulinas.org.br/ciberteologia/, com ISSN próprio.

 

Destinatários

O 26º Congresso dirige-se aos/às sócios/as da SOTER, constituídos/as de mestres/as e doutores/as em Teologia e Ciências da Religião, aos/às pesquisadores/as dessa área e de áreas afins, interessados/as em aprofundar e discutir a questão Deus na Sociedade Plural. Fé – Símbolos - Narrativas, estando também aberto para acolher alunos/as da graduação e especialistas preocupados/as com a temática a ser debatida.

 

Agenda

01 de dezembro de 2012 a 15 de janeiro de 2013: chamada para formação de Grupos de Trabalho (GTs) e de Fóruns Temáticos (FTs). Tais grupos devem sem compostos por dois doutores/as de 2 IES distintas, descrevendo numa ementa não maior de 250 palavras sua proposta para realizar o call paper/chamada de apresentação de Comunicações.

15 de janeiro a 10 de fevereiro de 2013: análise das propostas de GTs e de FTs pelo Comitê Científico do 26º Congresso da SOTER.

11 de fevereiro de 2013: Comunicação dos GTs e dos FTs aprovados.

01 março a 10 de maio de 2013: inscrições para comunicações nos GTs e nos FTs Temáticos, a serem feitas através da página de eventos do site da SOTER. Cada comunicação deverá conter o título proposto pelo/a autor/a e uma ementa de no máximo 250 palavras que suscintamente explicite o teor acadêmico da mesma, indicando a metodologia e as questões a serem abordadas na apresentação da comunicação.

15 de abril de 2013: início das inscrições on-line na página de eventos do site da SOTER como participante.

10-20 de maio de 2013: estudo e aprovação das propostas de comunicações pelos/as Coordenadores/as de GTs e de FTs.

24 de maio de 2013: divulgação na página do evento das Comunicações aprovadas.

07 de junho de 2013: último prazo para pagamento dos proponentes que tiveram comunicações aprovadas. O não pagamento implicará na não apresentação da comunicação.

30 de junho de 2013: encerramento das inscrições on-line como participante (mediante disponibilidade de vagas).

08 a 11 de julho de 2013: realização do 26º Congresso.

31 de agosto de 2013: data final de envio de textos integrais dos trabalhos aprovados para publicação em forma digital dos Anais dos textos completos.

 

Critérios para propostas de GTs e de FTs

Para propor um GT e um FT os/as proponentes devem observar os seguintes critérios:

1. Possuir o grau de doutor/a e pertencer a duas Instituições de Ensino Superior (IES) diferentes;

2. A ementa da proposta do GT e do FT deve ter no máximo 250 palavras, Fonte tamanho12 e estilo Times New Roman. Espaço 1,5 entre linhas. O editor de texto deverá ser o Microsoft Word ou compatível;

3. Caso o GT e o FT sejam aprovados pelo Comitê Científico do 26º Congresso, assumir as seguintes tarefas:

- Aprovar as propostas de comunicações enviadas ao GT e ao FT, seguindo os critérios estabelecidos pela Comissão Organizadora;

- Estar presentes e coordenar as sessões de apresentação das comunicações nos dias do Congresso;

- Responsabilizar-se pela revisão dos textos completos das comunicações a serem enviadas para a Secretaria do Congresso em vista de publicação dos Anais do Congresso da SOTER;

4. As propostas deverão ser enviadas para o e-mail da Soter: soter@soter.org.br

 

Programação do 26º Congresso Internacional da SOTER

PUC MINAS - Prédio 43 - Auditório 3

08 de Julho

Prédio 43 | Auditório 3

15h – Reunião da Diretoria

16h – Início do Credenciamento

16h – Reunião da Diretoria com os Conselheiros Regionais

19h30 - Abertura do 26º Congresso

20h - Conferência de Abertura: Deus na Sociedade Plural. Fé – Símbolos – Narrativas: Profa. Drª Lúcia Pedrosa (PUC/Rio)

21h30 - Coquetel

09 de Julho

Prédio 43 | Auditório 3

8h15 – Momento de Espiritualidade

8h30 – Deus e Ciência – Prof. Dr. John Haught (Senior Fellow Woodstock Theological Center Georgetown University – Washington DC, USA)

10h – Café

10h30 – Mesas redondas simultâneas:

Mesa 1: O diálogo entre fé e ciência: Prof. Dr. Erico Hammes (PUC RS) e Prof. Dr. Jaderson Costa da Costa (PUC RS)

Mesa 2: O Deus cristão – Profª Drª Maria Clara Bingemer (PUC Rio); Prof. Dr. Vitor Westhelle (Escola Superior de Teologia – EST)

12h – Intervalo de almoço

14h às 17h – GTs e FTs/Comunicações: Salas do Prédio 43

17h15 às 18h15 – Reuniões das Regionais: Salas do Predio 43

18h30 – Anúncio do vencedor do Prêmio SOTER/Paulinas de Teses 2011/2012

19h30 – Noite livre

10 de Julho

Prédio 43 | Auditório 3

8h15 – Momento de Espiritualidade

8h30 – Imagens de Deus – Profª Drª Nurya Gayol (Pontifícia Universidad de Comillas, Madrid, Espanha)

10h – Café

10h30 – Mesas Redondas Simultâneas:

Mesa 1: Deus na perspectiva afro-brasileira – Prof. Dr. Alain Pascal Kaly (UFRJ); Profª Drª Janira Sodré Miranda (PUC GO)

Mesa 2: Deus e Gênero: Prof. Dr. Adilson Schultz (Izabela Hendrix/PUC Minas) e Profª Drª Mercedes García Bachmann (Instituto Universitario ISEDET, Buenos Aires, Argentina)

Mesa 3: O anúncio da fé numa sociedade plural – Prof. Dr. Eanonn Conway (St. Mary Immaculate College, University of Limeric, Irlanda); Profª Drª Catherine Clifford (Saint Paul University, Ottawa, Canadá)

12h – Intervalo de Almoço

14h às 18h – GTs e FTs/Comunicações: Salas do Prédio 43

18h – Assembleia da SOTER. Eleição da nova Diretoria

20h – Noite Cultural na Casa de Retiros São José

11 de Julho

Prédio 43 | Auditório 3

8h15 – Momento de Espiritualidade

8h30 – Propor Deus na sociedade plural – Prof. Dr. Carlos Mendoza (Universidade Iberoamericana – México, DF)

10h – Café

10h30 – Releituras do congresso – Prof. Dr. Márcio Fabri (Centro Universitário São Camilo, SP); Marília de Domingos (UNILAB, CE)

12h – Encerramento do Congresso


Comissões

Diretoria da SOTER

Prof. Dr. Valmor da Silva: PUC/Goiás, GO, Brasil - Presidente

Prof. Dr. Geraldo De Mori - FAJE - Vice-Presidente

Prof. Dr. Pedro Ribeiro de Oliveira: PUC Minas, MG - 1º Secretário

Profª Drª Anete Roese: PUC Minas, MG - 2ª Secretária

Prof. M. Manoel José de Godoy, Instituto Santo Tomás de Aquino, ISTA, MG - Tesoureiro

Comissão Científica:

Prof. Dr. Angelo Cardita: Université de Laval, Montreal, Canadá

Profª Drª Wanda Deifelt: Luther College in Decorah, IA – USA

Prof. Dr. Steven Engler: Mount Royal University, Calgary, Alberta, Canadá

Profª Drª Brenda Maribel Caranza Dávila: PUC/Campinas, SP

Prof. Dr. Vítor Westhelle – EST, São Leopoldo, RS

Prof. Dr. João Batista Libanio: FAJE, MG

Prof. Dr. Márcio Fabri: Centro Universitário São Camilo, SP

Prof. Dr. Luis Carlos Susin: PUC/RG, RG

Prof. Dr. Paulo Fernando Carneiro de Andrade: PUC/Rio, RJ

Prof. Dr. Afonso Soares: PUC/SP, SP

Comissão Organizadora

Presidente:

Prof. Dr. Geraldo Luiz De Mori: FAJE

Membros:

Profª Drª Anete Roese: PUC Minas

Prof. Dr. Roberlei Panasiewicz: PUC Minas

Prof. Dr. Paulo Agostinho Nogueira Baptista: PUC Minas

Prof. Dr. Carlos Frederico Barboza de Souza: PUC Minas

Profª Drª Áurea Marin Burochi: ISTA, MG

Prof. Me. Edward Neves: PUC Minas

Prof. Me. Carlos Alberto Motta: FAJE, MG

Prof. Dr. Sinivaldo Tavares: FAJE, MG


Av. Dom José Gaspar, 500 | Coração Eucaristíco
PUC Minas, Prédio 4, 2º Andar, Sala 205
CEP 30 535 - 901 | Belo Horizonte – MG
© 2012 SOTER
Direitos Reservados
Seth Design